Para Refletir:
  • "Existem as Forças Inconscientes, Mas Existe a Consciência que é Muito Mais Poderosa." Norberto Keppe

  • "Existem as Forças Inconscientes, Mas Existe a Consciência que é Muito Mais Poderosa." Norberto Keppe

  • "Existem as Forças Inconscientes, Mas Existe a Consciência que é Muito Mais Poderosa." Norberto Keppe

Novo jornal IKP

Novo jornal IKP

A ação pura é o fundamento de toda a realidade, que se manifesta através do ato de amor e de verdade; por esse motivo, só o indivíduo capaz de tal gesto realizará todas as maravilhas que têm encantado a humanidade durante séculos.

Estou mostrando, neste capítulo, que o bem advém ao ser humano através do que denominei ação pura, o que significa uma conduta boa, seja no trabalho, no pensamento ou na intenção — aliás estes dois últimos só podem existir em consequência do ato bom.

Posso também afirmar que a transcendência se manifesta no planeta por esse comportamento, porque o homem é o único ser transcendental — o que indica um relacionamento direto com a divindade — e, no ato ruim, com os demônios, evidentemente.

A ação pura consiste na atitude de evitar a existência de qualquer malefício no que se faz, pensa e sente; portanto, se torna mais uma questão de hábito, com a finalidade de retornar à natureza original. Tal acontecimento poderá ser elucidado até mesmo no campo da física, pelo fato de o ser humano emitir constantemente ondas que influem nos outros, nos animais, plantas e em toda a natureza; são sobejamente conhecidos os fenômenos da telepatia, precognição e psicocinesia (transmissão de pensamentos, previsão do futuro e ação na matéria).

Para que a própria mente funcione, o ser humano tem de desenvolver uma ação pura, inclusive para evitar a elaboração de toxinas perigosas para seu cérebro.

Não é possível haver pensamento e afeto senão no que for real, e o que não é bom, verdadeiro e belo constitui a deturpação da realidade – que atinge pesadamente a pessoa que a elabora, destruindo seus neurônios, nervos, músculos e ossos, além de deformar a vida social.

O ser humano de início era ação pura, tendo a possibilidade de entender tudo e desenvolver uma civilização fantástica – que permaneceu assim em outros planetas; através da corrupção foi caindo para um estado de potência, parando cada vez mais em seu ato de ser.

Estou mostrando que, exatamente ao contrário do que falava Charles Darwin, viemos das estrelas mais belas que brilham no céu e tornamo-nos, com o tempo, semelhantes aos animais; por esse motivo, alguns antropologistas afirmam que a humanidade passou consecutivamente por uma Idade do Ouro, depois da Prata, em seguida do Bronze e agora do Ferro. Porém, temos a possibilidade de corrigir rapidamente tal problema, se nos entregarmos à ação boa.

A cliente S.R. afirmou não gostar de ouvir no grupo de psicoterapia que não pretendia mudar.

– Mas sua reação negativa não aconteceu porque a senhora não pretende melhorar a vida? Tenho a impressão de que a senhora já jogou fora grande parte de sua existência, não querendo realizar nada de bom.

Estou esclarecendo que a fonte da vida está no ato puro e, quando o indivíduo o abandona, destrói-se pela base: adoece, empobrece, perde o brilho intelectual e a simpatia. Posso mesmo afirmar que, a partir do momento em que a pessoa desiste de agir no bem, começa a morrer.

Falando sobre a transcendência, podemos ver que, através da ação pura, estabelecemos imediatamente contacto com a divindade – enquanto, pela inação, com os demônios: como a palavra diz muito bem, constitui uma atitude contra a ação, na deturpação, uma maneira de estragar a ação; e, na negação, uma conduta de negar a ação. Notem que o vocábulo ação forma o ponto central de toda a etimologia; se na linguística é a palavra chave.

Norberto R. Keppe*,
Extrato do livro Metafísica Trilógica
A libertação do Ser, pag. 141-2ª Edição

*Norberto Keppe é psicanalista, filósofo e pesquisador independente da física, fundador e presidente da SITA – Sociedade Internacional de Trilogia Analítica (Psicanálise Integral), com 40 livros publicados.

 

Sugestão de Leitura


 

 

metafisica-trilogica-um-01Metafísica Trilógica –
A libertação do Ser

Aplicação da Ciência Trilógica na Medicina Psicossomática, este livro mostra que a verdadeira causa do estresse e das doenças psicológicas e orgânicas está no desconhecimento, tanto das atitudes e emoções patológicas do indivíduo, como da doença da sociedade.

Relata casos clínicos e mostra como o leitor pode curar a si mesmo e aos demais pelo método de interiorização (conscientização). Leitura indicada para qualquer pessoa, é de grande utilidade a profissionais da área de saúde e psicoterapia.

Quero ver o livro

 

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*