A Humanidade está Doente. Você sabe o que é Psico-Sócio-Patologia?

Entrevista com a Dra. Cláudia Bernhardt de Souza Pacheco*

STOP: Por que estes cursos baseados na Psico-Sócio-Patologia?

Cláudia B. S. Pacheco: O conhecimento da patologia psíquica e social é fundamental para haver equilíbrio. Por isso os cursos terapêuticos da Millennium Línguas e do Faculdade Trilógica Keppe e Pacheco se baseiam no estudo e aplicação da ciência da psico-sócio -patologia. Em meu livro De Olho na Saúde mostrei um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) da ONU segundo o qual a cada 4 pessoas uma caminha, em algum ponto de sua vida, para uma crise de ordem psíquica, de doença mental. Segundo esse relatório, divulgado em fevereiro de 2007 perante o Parlamento Europeu, pelo menos 1 bilhão de pessoas sofre de doenças mentais no mundo.

Conscientizar a patologia psíquica e a social é a única forma de melhorar na saúde, no trabalho e de solucionar conflitos.

Ou seja, vivemos num mundo psíquica e socialmente enfermo. Por esse motivo, é de fundamental importância haver pessoas e profissionais que entendam e se aprofundem nessa questão da psico-sócio-patologia, no conhecimento do ser humano e da vida social, para aplicá-lo não só na melhoria da própria qualidade de vida, do seu círculo familiar e de amigos, mas nos seus respectivos campos de atuação.

STOP: Conhecer a Psico-Sócio-Patologia permite reduzir o estresse pessoal e do ambiente?

CP: Conscientizar a patologia psíquica e a social é a única forma de diminuir a tensão e se desenvolver, pois o ato de escondê-las é que causa todos os males humanos. Em meu livro A Cura pela Consciência – Teomania e Estresse, mostro a relação entre moléstias orgânicas e tensão emocional: os sintomas vão desde dores de cabeça e má digestão a dores musculares, irritabilidade, emotividade acentuada, ansiedade, até as doenças mais graves.

STOP: Qual seria o principal benefício dos cursos da FATRI ?

CP: Nossos cursos visam conscientizar as pessoas das enormes possibilidades de realização e saúde que dispõem em sua vida psíquica, bastando despertá-las. Assim, o aluno conhece os meios de melhorar a sociedade e a si próprio, usando a consciência como instrumento no seu trabalho. Ele aprende como a vida psíquica influencia a sociedade e vice-versa.

A ciência da Psico-Sócio-Patologia estuda as causas, a inter-relação e o tratamento das doenças psíquicas, de modo interdisciplinar (unificado). De maneira que o estudante toma conhecimento de como se dá o tratamento da patologia do indivíduo e da sociedade através da conscientização das emoções, intenções e valores invertidos, geralmente inconscientizados, que acabam por atuar negativamente na sua saúde e nas suas diversas atividades. Pode-se dizer que ela é a ciência do terceiro milênio por excelência, a mais nova e a mais necessária, pois dela dependem todas as outras. Por isso é interdisciplinar.

O especialista em psico-sócio-patologia pode auxiliar na resolução de problemas individuais (psíquicos), educacionais, sociais, econômicos, políticos, enfim, atuar em todas as áreas de interesse humano, para melhorar a qualidade de vida.

Enquanto o psicanalista atende clinicamente pessoas em sessões individuais e em grupo, o especialista em Psico-Sócio-Patologia pode trabalhar mais com a conscientização geral das pessoas e do meio social doente – e não com as doenças. Ele terá a possibilidade de identificar as causas psicossociais das dificuldades existentes em ambientes (de trabalho, por exemplo) e ajudar a encontrar as soluções apropriadas.

*Psicanalista e escritora, com 12 livros publicados. Vice-presidente da SITA, presidente e fundadora da Associação Keppe & Pacheco e da STOP a Destruição do Mundo.