opiniao-por-que-o-homem-destroi-a-si-ao-proximo-e-a-natureza

Opinião: Por que o homem destrói a si, ao próximo e a natureza?

O ser humano possui uma atitude au­todestrutiva e alodestrutiva

Norberto Keppe, funda­dor da Sociedade In­ternacional de Trilogia Analítica (Sita), que trabalhou em Viena com o psicanalista Viktor Frankl e outros grandes estudiosos do ciclo de Viena, afirma que o ser humano pos­sui uma energética invertida e, devido a essa inversão incons­ciente, possui uma atitude au­todestrutiva e alodestrutiva na quase totalidade de sua traje­tória existencial. Sem que ele se dê conta, suas atitudes em relação aos entes próximos, a ele mesmo e ao meio ambiente expressam um enorme senti­mento de inveja a tudo que na­turalmente é bom, belo e ver­dadeiro.

Diz Keppe que, a menos que essa insanidade seja conscien­tizada, agora com a degrada­ção crescente do planeta, as chances de a civilização en­trar num processo de entropia acelerada e consequentemente em colapso são muito grandes. Em sua análise sobre a huma­nidade em geral, o revolucio­nário psicanalista ressalta que a destruição dos bens metain­dividuais, das belezas da natu­reza, do meio ambiente como um todo, são apenas um dos desdobramentos dessa terrível inversão. Naturalmente – diz ele – “Existem diferentes níveis patológicos nos seres huma­nos, sendo que entre os mais doentes estão os avarentos, os cobiçosos de muito poder, os teomaníacos e os megaloma­níacos”. Ele afirma corajosa­mente que os indivíduos muito cobiçosos de riquezas, que pos­suem uma atitude sempre vol­tada para a conquista de mais e mais dinheiro, mais e mais poder, são muito doentes, em­bora na maioria das vezes se­jam admirados e invejados por outros seres humanos, obvia­mente também muito doentes.

Na visão de Norberto Keppe, a pessoa mais sã – embora todas tenham algum grau de insani­dade – é aquela que não nega a voz da consciência dentro de si, que aceita ver em si as falhas e os erros. Somente o “Cristo” não era corrompido, o restante da humanidade necessita pra­ticar as virtudes para aceitar o bem, o belo e o verdadeiro, que são permanentemente ne­gados. Em sua análise, o mal é exatamente a privação do bem, decorrente da não admissão da existência inata do bem,do belo e do verdadeiro na essên­cia do homem.

Essas disposições são impres­cindíveis para que a inveja en­tronizada no homem enfraque­ça, possibilitando a recuperação da sanidade. A maioria absolu­ta das doenças humanas é con­sequência dessa inversão não conscientizada. A destruição da natureza não será interrompida a partir de seres humanos que inconscientemente projetam destruição em si, no próximo e na natureza como um todo.

Norberto Keppe escreveu inúmeros livros, publicados pela editora Proton. Entre eles estão O Homem Interior, Es­cravidão e Liberdade, A Li­bertação dos Povos, Trabalho e Capital e Sociopatologia. Atualmente possui os progra­mas com os títulos “Stop a Des­truição do Mundo” e “O Ho­mem Universal”, ambos gravados em São Paulo com vitrine para o mundo através do Youtube, Vimeo e do site Trilogy Channel. Já trabalhou na Policlínica de Psicanálise em Viena, depois nos Estados Unidos e em Paris. Atu­almente reside em São Paulo, onde desenvolve um relevante trabalho de conscientização da Inversão da Energética do Ser Humano, junto com a psicanalista e escritora Cláudia B. S. Pacheco, autora do livro A Cura pela Consciência.

A menos que o ser humano recobre a sua sanidade pela de­sinversão decorrente da com­preensão profunda da tremen­da inveja que é portador, tanto o homem quanto o planeta estão em risco de destruição.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*