Por que o governo federal viola a lei das vacinas há 30 anos

Compartilhe! Faça parte da campanha de conscientização:

Em meu artigo anterior sobre esse assunto, estabeleci que, como resultado do trabalho de Robert F. Kennedy, Jr. e Del Bigtree, agora sabemos que o governo federal violou a lei das vacinas por 30 anos.

O Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS), a partir de 1988, deveria relatar a cada dois anos ao Congresso, sobre os esforços em curso para melhorar a segurança das vacinas. Nenhum relatório foi feito.

Então… por que eles não seguiram a lei?

Primeiro: Arrogância. Agências federais, quando pensam que podem se safar, ignoram completamente uma lei. Eles fingiram que a lei não existia.

Segundo: Seguir a lei teria constituído uma admitir de fato que a segurança das vacinas é um problema. Se você precisar atualizar seus esforços nessa direção a cada dois anos, há um problema sério. O governo federal não quer, em hipótese alguma, admitir que as vacinas causem danos generalizados.

Terceiro: O CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos) compra e vende US$ 4 bilhões em vacinas a cada ano. Participar de um negócio tão grande, enquanto admite que as vacinas sejam um problema contínuo de segurança, não cria um quadro coerente. Isso levanta muitas questões desconfortáveis.

Quarto: O governo federal gostaria de abrir as portas para mais e mais denunciantes de vacinas ao longo dos anos? O pesquisador de longa data do CDC, William Thompson, denunciou a pesquisa fraudulenta de autismo da vacina MMR, em 2014. Imagine Thompson e alguns outros abrindo TODO o jogo, contando tudo o que sabem sobre mentiras criminosas e encobrimentos no CDC nos últimos 30 anos. Você começa a cavar um buraco em um lugar pútrido e todos os tipos de material podres vão surgir.

Quais são as chances de que, em algum lugar nas entranhas do CDC, entre seus 15.000 funcionários, haja um que saiba – e possa decidir explicar – que todo o programa de vacinação é uma farsa e uma farsa desde o começo; que as vacinas não produzem imunidade, mas produzem muitas lesões neurológicas graves (incluindo lesões fatais); que crianças não vacinadas e criadas de forma naturalmente saudável estão muito melhor do que as crianças vacinadas.

Você acha que o governo federal gostaria de continuar a botar a boca no trombone com os atuais inquéritos de segurança sobre as vacinas, e arriscar que alguém de consciência finalmente decida sair das sombras e contar toda a verdade?

Eu acho que não.

Eventualmente, esses relatórios do HHS para o Congresso atrairiam uma grande atenção do público, e as audiências abertas seriam forçadas a existir. Imagine, em uma dessas sessões televisionadas, um cientista de renome do CDC, no final de sua exposição, dizer, com grande ênfase:

“Todo o negócio de vacinas é um absurdo. Por exemplo, quando dizemos que grandes campanhas de vacinação eliminaram tal e tal doença, isso é um conto de fadas. A vacina tem um efeito sobre o corpo. Ela pode prejudicar a resposta do sistema imunológico. E, nesse caso, você não verá as erupções e inchaços vermelhos e outros sinais de uma doença em particular. Mas não pense por um segundo que isso significa que a doença foi exterminada. Não. Por causa da toxicidade da vacina, o sistema imunológico fica fraco demais para responder com forças, e é por isso que você não vê as erupções se desenvolverem. Em vez disso, a vacina causa outros tipos de problemas no corpo. O problema pode ser neurológico. Pode ser uma infecção debilitante crônica. Nenhuma doença foi realmente eliminada… apenas sua aparência mudou. A saúde geral da criança piorou… e isso é uma coisa muito ruim. Temos que parar de mentir sobre isso… ”

Por que o governo federal aumentaria a chance de algo assim acontecer? Não, é muito melhor ignorar a lei, esperar que ninguém perceba, nunca estude a segurança das vacinas e nunca tente melhorá-las. É tolice pensar que você pode levantar um pouco a tampa da caixa de Pandora. Melhor tentar pregar a tampa para sempre.

Caso você não tenha notado, isso não está funcionando.

Por Jon Rappoport


Artigo original

Why the federal government broke vaccine law for 30 years

In my previous article on this subject, I established that, as a result of Robert F Kennedy, Jr.’s and Del Bigtree’s work, we now know the federal government broke vaccine law for 30 years.

The Dept. of Health and Human Services (HHS), starting in 1988, was supposed to report every two years to the Congress, on ongoing efforts to improve vaccine safety. NO REPORTS WERE EVER MADE.

So…why didn’t they follow the law?

One: Arrogance. Federal agencies will, when they think they can get away with it, ignore a law entirely. They’ll pretend it doesn’t exist.

Two: Following the law would have constituted a de facto admission that vaccine safety is a problem. If you need to update your efforts in that direction every two years, there is a serious problem. The federal government does not, under any circumstances, want to admit vaccines cause widespread harm.

Three: The CDC buys and sells $4 billion worth of vaccines every year. Engaging in such huge business, while admitting vaccines are a continuing safety problem, doesn’t create a coherent picture. It raises many uncomfortable questions.

Four: Would the federal government want to open the door to more and more vaccine whistleblowers over the years? Long-time CDC researcher, William Thompson, did blow the whistle on fraudulent MMR-vaccine-autism research, in 2014. Imagine Thompson and a few others spilling ALL the beans, telling everything they know about criminal lying and cover-ups at the CDC during the past 30 years. You start digging a hole in a putrid place, all sorts of rank material is going to emerge.

What are the chances that, somewhere in the bowels of the CDC, among its 15,000 employees, there is one who knows—and might decide to explain—that the whole vaccination program is a scam and a hoax from the ground up; that vaccines don’t really produce immunity, but do produce many severe neurological injuries (including fatal injuries); that unvaccinated children who are raised in a naturally healthy way are far better off than vaccinated children.

Would the federal government want to keep stirring the pot with ongoing probes of vaccine safety, and risk someone of conscience finally deciding to step out of the shadows and tell the whole truth?

I think not.

Eventually, these HHS reports to Congress would attract a great deal of public attention, and open hearings would be forced into existence. Imagine, at one of these televised sessions, a CDC scientist of repute, at the end of his tether, saying, with great emphasis:

“The whole vaccine business is nonsense. For example, when we say large vaccine campaigns have wiped out such-and-so disease, that’s a fairy tale. The vaccine does have an effect on the body. It can impair the body’s immune system response, in which case you won’t see the rashes and red bumps and other signs of a particular disease. But don’t think for a second that means the disease has been wiped out. No. Because of the toxic vaccine, the immune system is made too weak to respond with power, and that’s why you don’t see the rashes develop. Instead, the vaccine causes other kinds of problems in the body. The problem could be neurological. It could be a chronic debilitating infection. No disease has really been wiped out…only the appearance has changed. The overall health of the child has gotten worse…and this is a very bad thing. We have to stop lying about it…”

Why in the world would the federal government increase the chance of something like that happening? No, much better to ignore the law, hope no one notices, never study vaccine safety, and never try to improve it. It’s folly to think you can raise the lid on Pandora’s Box a little bit. Better to try to nail that lid shut forever.

In case you haven’t noticed, that’s not working.

By Jon Rappoport