a-medicina-psicossomatica

A Medicina Psicossomática

Compartilhe! Faça parte da campanha de conscientização:

A única e verdadeira Medicina é a psicossomática. A maneira como ela é praticada, atualmente, não é a real, pois supervaloriza o orgânico, tentando negar a importância do psicológico, que é a causa mestra de todo desarranjo no organismo.

Mesmo os médicos, que dizem praticar a medicina psicossomática, costumam tratar de seus clientes através de calmantes, o que, na realidade, só encobre a maioria das causas das doenças, que é psicossocial. Nesse caso, os sintomas podem ser aliviados temporariamente, mas eles retornam assim que a ingestão de medicamentos se interrompa. Além disso, os calmantes e psicotrópicos causam efeitos colaterais graves e desagradáveis — às vezes piores do que os da doença que pretendem combater.

Hipócrates, o pai da Medicina, afirmou que “não existe a doença, existe o doente”. É evidente que somos uma unidade indissolúvel entre psíquico e físico, com a predominância do primeiro, pela sua superioridade. Portanto, todo doente adoece psiquicamente primeiro, e, em consequência, fisicamente.

Os leitores nos perguntarão: mas, e os vírus, as bactérias, as irradiações atômicas, as verminoses, a desnutrição, as doenças hereditárias, de onde surgem? Ao que responderemos: a vida atual neste planeta está muito distante de ser o que deveria ser. Muitas doenças atuais são o resultado da destruição gradativa do nosso planeta pelas mãos dos próprios homens e não deveriam existir.

A relação entre o estresse, as doenças psicossociais e as orgânicas está melhor explicada no meu livro A Cura pela Consciência — Teomania e Estresse. Lá eu procuro esclarecer como a luta que o ser humano faz contra a consciência de seus erros e dos problemas sociais pode adoecê-lo e, até mesmo, levá-lo à morte.

 

Cláudia B. S. Pacheco
Psicanalista e escritora, com 12 livros publicados. Vice-presidente da SITA, presidente e fundadora da Associação Keppe & Pacheco e da STOP a Destruição do Mundo.

800-400-os-anticristos-que-desnortearam-toda-a-humanidade-jornal-stop-destruicao-do-mundo-n-98-1

Os Anticristos Que Desnortearam Toda a Humanidade

Compartilhe! Faça parte da campanha de conscientização:

Começando com Galileu e Isaac Newton, posso apontar o engano dos dois, ao colocar a origem da energia em fatores externos, pois eles acreditavam que, a partir daí, é que se formava o campo energético — Galileu deu como exemplo a pedra que rola da montanha e vai aumentando de velocidade, como se esse movimento é que criasse energia.

Isaac Newton estabeleceu 3 leis com idênticas ideias: a primeira, que um corpo sai da inércia com algum movimento externo; a segunda, que a variação do movimento vem em consequência de uma ação externa; a terceira lei, mais conhecida, é a da ação e reação, que diz que a toda ação exercida sobre um corpo, corresponde uma força contrária de reação, na mesma velocidade e direção. Tanto Galileu como Newton cometeram o mesmo erro, mas o inglês abriu as portas com a questão da reação, que é exatamente a atitude do diabo, para entrar na vida social e tentar brecar todo o seu desenvolvimento.

Albert Einstein seguiu a mesma orientação anticristã com sua famosa fórmula E = mc2, colocando a energia formada pela velocidade da luz ao quadrado, não sabendo que existe movimento superior ao da luz, mesmo sendo ao quadrado — e, o pior ainda, incitando a criação da bomba atômica, que não é só explosão, e, sim, desintegração da matéria.

Em seguida, posso apontar o maior anticristo moderno, também da Inglaterra, muito mais nefasto, Charles Darwin, com sua proposição sem pé nem cabeça: o Evolucionismo — algo absolutamente incongruente, seja no setor científico, seja no filosófico e também no teológico, é claro, ao dizer que o nada faz tudo. Parece um debiloide do diabo falando, porque ele colocou a sua atitude de destruir e eliminar tudo, no início de sua proposição.

No setor Psicopatológico, Sigmund Freud foi o pior exemplo, ao colocar a etiologia das doenças mentais no campo afetivo-sexual, fornecendo não uma ideia, mas uma simples opinião (doxa), que já na Grécia Antiga não se via como sendo ciência, mas palpite, sem nenhuma seriedade. É por esse motivo que as explicações freudianas não obtiveram êxito dentro da Medicina Psicossomática — o próprio Freud foi acometido por um câncer na laringe, por mais de 30 anos, e o pior ainda, estimulando o conceito de bem-estar e felicidade, retirado dos instintos, como se fôssemos animais irracionais.

Karl Marx foi um valente anticristo, preguiçoso e dotado de forte inveja em relação aos indivíduos abonados, mas desejando o poder econômico sem fazer força e por milagre diabólico, no que denominei de Capitalismo de Estado. Até para escrever, no que ele deveria ser mais forte, deixou-nos só um livro, O Capital, mostrando que os poderosos teriam de explorar os trabalhadores escravizados em duras atividades, propagando a ideia que sofriam amargamente suas escravidões por culpa das maldades dos povos ocidentais, que viviam com certa fartura.

Aproveitando o assunto, verificamos que Adam Smith trouxe para a sociedade o delírio de riqueza, na exploração do homem pelo homem, liquidando o desenvolvimento industrial, pois, falando da famosa Mão Invisível, introduziu a possibilidade dos indivíduos mais espertos ganharem muito dinheiro especulando nas Bolsas. Foi esse assunto que eu trouxe em meu livro A Decadência do Povo Americano e dos Estados Unidos, que enfureceu o presidente Reagan, me prendendo no MCC (Metropolitan Correctional Center); atualmente (2018), Trump reconhece que realmente o país estava em decadência. Parece que é tarde para recuperá-lo.

Falei de 7 Anticristos: Galileu, Isaac Newton, Albert Einstein, Charles Darwin, Sigmund Freud, Karl Marx e Adam Smith. Agora, citarei mais 2, para fechar o ciclo desses impertinentes gênios: Pasteur e, finalmente, um pensador francês bem antigo, Descartes, que iniciou a Filosofia Moderna com a chanchada demoníaca, que ocasionou enorme desastre no pensamento Acadêmico, com o conceito desconexo: Duvido, Logo Existo. Note o leitor que, tanto ele como Pasteur, anuviaram a Humanidade com o apoio cerrado dos diabos em sua época.

O médico colombiano, Dr. Roberto Giraldo, trabalhou nos Estados Unidos 20 anos, trazendo-nos a ideia de Béchamp (França), Enderlein (Alemanha) e Claude Bernard (França) sobre a inexistência de bactérias nos glóbulos sanguíneos, mostrando que só tem servido para aumentar o lucro dos Laboratórios ao se ensinar, invertidamente, que as doenças viriam do ambiente externo (bacilos) — e não que esses elementos patológicos sejam ocasionados pelos sentimentos ruins do interior do ser humano. Em minha pesquisa mostro que toda a ideia da Medicina, de ver a doença vinda de fora, constitui um desvio da verdadeira realidade.

Norberto R. Keppe*
Extrato do livro Psicoterapia e Exorcismo.

*Psicanalista, filósofo e pesquisador independente da física, autor de 40 livros, fundador e presidente da SITA – Sociedade Internacional de Trilogia Analítica, que unificou a ciência, à filosofia e à teologia.

millennium-linguas-add-jornal-stop-destruicao-do-mundo-n-98-4