Estude Idiomas Fazendo Terapia!

Compartilhe! Faça parte da campanha de conscientização:

Na Millennium – Centro de Línguas das Faculdades Trilógicas – você estuda pelo revolucionário Método Psicolinguístico Terapêutico de Norberto Keppe.

Aula com a professora finlandesa Sari Koivukangas — Entre os temas estudados na Millennium em nove idiomas estão: como lidar com o estresse, como tratar pessoas difíceis, como se acalmar em situações de tensão, como ter uma existência mais feliz, como aumentar a produtividade e muitos outras recursos psicológicos para melhorar nossa vida psíquica, orgânica e social.

Fabrizio Billiotti, professor italiano da Millennium Unidade Rebouças

Costumamos pesquisar entre nossos alunos o que acham do Método Terapêutico de ensino de idiomas utilizado na Millennium. Um deles respondeu com uma frase tão significativa, que virou slogan da escola: “Aqui aprendemos o idioma da vida”.

Eles costumam responder que além de estudarem uma língua, obtêm conhecimentos fundamentais sobre as leis psíquicas e sociais que lhes permite adquirir maior bem-estar e desenvolvimento, através do autoconhecimento.

O Método Psicolinguístico Terapêutico mostra o que nos impede de ter uma existência melhor. Conhecendo os bloqueios, podemos aprender uma nova língua e evoluir em outros setores da vida, como relacionamentos, estudo, trabalho, realizações.

 

“Desenvolvi muito o meu inglês, pois é um método muito prático, e aprendi, sobretudo, a acreditar que é possível fazer um mundo melhor agora” disse a aluna J.S., empresária.

“A Millennium é um ambiente agradável, energizante e com pessoas especiais” declarou a jovem S.B., estudante pré-universitária.

 

Os professores são oriundos do Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Colômbia, Suécia, Finlândia e Brasil. Eles são psico-sócio-terapeutas com mais de duas décadas de experiência no manejo do Método criado por Norberto Keppe. Graças a essa metodologia os alunos têm a possibilidade de adquirir também vasta cultura, e um conhecimento unificado de ciência, filosofia, metafísica e artes no idioma estudado.

Em pesquisa recente sobre a diferença no aprendizado entre métodos convencionais e o Método Psicolinguístico (Revista de Psicanálise Integral), mostrou-se a grande eficácia do último: 90% dos participantes consideraram seu aprendizado pelo Método Psicolinguístico melhor do que pelos métodos convencionais, sendo que nenhum participante o considerou inferior (gráfico ao lado). O resultado mostra que o Método Psicolinguístico utilizado na Millennium está mais de acordo com a vida psíquica do aluno pois lida com as dificuldades sem censura.

O que faz o indivíduo aprender é a melhora da sua vida psíquica. Quando a pessoa começa a aceitar o bem (por exemplo, a consciência dos seus erros, que anteriormente pode ter considerado como penosa e prejudicial) vê vantagem nela e no seu desenvolvimento, o que abre o caminho para o aprendizado e o progresso.

“Obtive um crescimento na forma de pensar e falar em inglês. A expectativa foi além do esperado.” disse A.F., pedagoga.

 

Faculdade Keppe & Pacheco Certifica o Método Revolucionário de Ensino de Línguas

Compartilhe! Faça parte da campanha de conscientização:

O Método Terapêutico Trilógico de Norberto Keppe é aplicado no Instituto de Línguas Millennium há mais de 20 anos, ajudando a criar melhores condições para o aprendizado de uma segunda língua.

 

Quando converso com brasileiros sobre as experiências que tiveram ao aprender línguas, eu escuto muitas histórias. A “obrigação” de saber falar inglês é um tema constante. Também falam do trauma das entrevistas de emprego, ou ainda como se sentem diante de um garçom rude em Nova Iorque, que ficou “medindo” seu sotaque ao fazer o pedido.

Eu sempre os convido para estudar conosco e experimentar uma maneira revolucionária de se aprender. Porque a combinação das dificuldades dos alunos com os métodos ineficientes os faz perder as esperanças e a motivação.

Por que revolucionário? (entrevista com o criador do método)

Keppe: O processo de aprendizagem acontece no campo emocional. Não é tanto uma questão de entender ou não a língua, entender ou não a gramática. As escolas tradicionais seguem a orientação aristotélica visando fazer o aluno aprender pouco a pouco, do menor para o maior (da potência para o ato). Mas não é bem assim. Por exemplo: o inventor do automóvel ou do avião não começou a fazer peça por peça, mas ele tinha na ideia exatamente como funcionaria o carro/ avião, e aí ele foi montando cada peça no lugar.

Para a pessoa aprender uma língua, ela deveria ter na ideia os conceitos da língua – e tem! A nossa inteligência capta tudo de uma vez. Portanto, se o indivíduo tiver um sistema emocional funcionando bem, se ele conseguir analisar suas emoções, ele vai ter uma vida intelectual sã. Se ele não tiver uma vida emocional regularizada, ele nem consegue pensar!

Por isso, a Millennium foi fundada, baseada neste trabalho, com professores sócio-terapeutas. À medida que o aluno percebe seus distúrbios emocionais, sua inteligência vai funcionando melhor. Então, o aluno entra na escola para aprender a língua e faz também o processo de psicoterapia.

Roberto Reis, Consultor de Vendas, aluno da Unidade Rebouças diz que: “O método usado nas aulas nos ajuda a abrir a mente e sentir que é possível aprender inglês sem sofrer”

grafico-beneficios-alunos-millennium