Exorcistas e Psicanalistas Trabalham no Mesmo Plano – Psicoterapia e Exorcismo

Compartilhe! Faça parte da campanha de conscientização:

Posso afirmar que fazer exorcismo é realizar psicoterapia, assim como fazer psicoterapia é também realizar exorcismo — porque são dois fatores semelhantes nesta e na outra vida sobrenatural. Estou mostrando que o cientista e o exorcista trabalham exatamente no mesmo plano, pois toda doença é ligada aos fatores físicos, e no mesmo instante aos espirituais — é por este motivo que o médico ateu, e o religioso fanático, têm tanta dificuldade em suas atividades.

O pastor americano Bill Wiese escreveu o livro 23 Minutos no Inferno, onde narra o que aconteceu ao sofrer repentinamente um desmaio, sendo transportado para essa região infernal, para nos trazer o que sucede com os inimigos de Deus. Compreendo em minha pesquisa sobre a relação entre a conduta psicótica dos doentes mentais graves, e a dos seres humanos que se condenam ao Inferno, que existe bastante semelhança entre eles, mas a situação é muito pior nesse Além Infernal.

Por exemplo: Wiese afirmou que lá falta tudo o que temos aqui: água, alimento, sono e principalmente bem-estar, misericórdia e amor, dando a entender que vivemos ainda no Paraíso Terrestre, mas não o usufruímos, por causa dos nossos vícios e oposição ao Ser Divino.

Um dado que poucas pessoas conhecem, é a questão da enorme fúria que os diabos têm de nós, conforme Wiese, sem motivo algum, a não ser o desejo que temos de seguir a orientação de Jesus Cristo, que eles se opõem frontalmente. Porém, nossa atitude de nos opormos ao Ser Divino aqui mesmo, existe em todos os setores da existência: filosóficos, políticos, econômicos, jurídicos, científicos e seus ramos.

Posso dizer que, inconscientemente, nos tornamos inimigos inveterados de Deus, só porque não temos possibilidade de inventar uma existência diferente da atual — evidentemente, aqui entra a questão da soberba e inveja, pecados capitais, uma cópia do que aconteceu com os demônios que seguimos fatalmente.

Os profissionais mais aptos para conhecer a conduta dos demônios são os psicanalistas, desde que eles não rejeitem a espiritualidade — e o fator mais importante está na percepção de que os doentes mentais mais graves perderam a visão natural e qualquer atitude, emoção e pensamento pertencente ao real.

Neste caso, toda a sua conduta é sem sentido, não podendo mais agir de acordo com o Criador, pois navega no inexistente — o ser humano percebe sua oposição ao bem, pensando que os demônios possam não estar aí. É por essa razão que não reconhece o trabalho da 2a Pessoa da Trindade, quando esteve humanamente entre nós. Desejo esclarecer que a humanidade está entre o bem e a sua ausência, e quanto maior for sua doença, mais distante estará do belo, da verdade e do amor que são o real.

 

livro-psicoterapia-e-exorcismo-norberto-keppe-450x417Artigo do livro, Psicoterapia e Exorcismo, de Norberto Keppe:
Psicanalista, filósofo, cientista social, pedagogo e físico independente, autor de 42 livros, fundador e presidente da SITA – Sociedade Internacional de Trilogia Analítica, que unificou a ciência à filosofia e teologia.

teologia-graduacao-presencial-teologia-clinica-especializacao

TEOLOGIA (Graduação Presencial) e TEOLOGIA CLÍNICA (Especialização)

Compartilhe! Faça parte da campanha de conscientização:

Estudo das causas, inter-relação e tratamento das doenças psíquicas, orgânicas, sociais e espirituais.

Método da Trilogia Analítica

Os  cursos  de Teologia (Graduação) e Teologia Clínica (Pós-Graduação), da Faculdade Trilógica Keppe & Pacheco, fazem a união da Psicanálise Integral e a Teologia, a fim de munir o aluno de conhecimentos científicos sobre psicoterapia, para ajudá-lo em suas atividades de teólogo. Eles são também chamados Teologia Trilógica – Transdisciplinar, por fazerem a união dos três campos fundamentais do ser humano e da sociedade: Sentimento (Teologia), Pensamento (Filosofia) e Ação (Ciência e Artes).

Os cursos, que se completam, dão ênfase à transdisciplinaridade (união de várias disciplinas, para garantir uma especialização profunda). Assim, os alunos aprenderão, junto com os conhecimentos tradicionais da Teologia, como Antigo e Novo Testamento, Teologia da Trindade, Angeologia e Demonologia, disciplinas da filosofia e da ciência, como:

  • Metafísica e Nova Física
  • Curas Espirituais (Energéticas)
  • Medicina e Odontologia Psicossomáticas
  • Psicoterapia e Exorcismo
  • Gestão de Conflitos
  • Psicopatologia e Pecado
  • Sanidade e Santidade
  • Sociopatologia e o Reino Divino, entre outros.

As artes, consideradas fundamentos da Civilização, têm uma abordagem aprofundada em disciplinas como O Sagrado na Arte, Arte e Espiritualidade, entre outras.
O objetivo geral é desenvolver uma visão da espiritualidade sob a ótica da ciência, preenchendo uma lacuna nesse campo, uma vez que parece persistir em muitas mentes a dicotomia entre fé e razão.

A principal finalidade é, portanto, analisar em profundidade o relacionamento do ser humano com Deus e tentar sanar, na medida do possível, os conflitos nesse relacionamento. De outro lado,  com seu curso transdisciplinar, buscará o resgate da unidade dos cristãos e o diálogo construtivo entre todas as religiões.

 

Dentro da visão trilógica universalista, os cursos de Teologia e Teologia Clínica visam propiciar ao teólogo uma atuação em todos os campos da sociedade, e não somente nas igrejas e instituições afins. Todas as disciplinas foram concebidas para permitir que esse novo profissional possa atuar em segmentos nunca antes contemplados pelos benefícios da espiritualidade.

Após concluir o curso de Graduação em Teologia (3 anos), o estudante pode fazer sua especialização em Teologia Clínica (Lato sensu ou livre –  2 anos).

Aprender Línguas Fazendo Psicoterapia

Compartilhe! Faça parte da campanha de conscientização:

O revolucionário método Psicolinguístico de Norberto Keppe, aplicado no Trilogy Institute, beneficia o aluno em todos os campos e não só no aprendizado de idiomas.

Sofi e Bergqvist,
Prof. Sueca do Trilogy Institute

Recentemente um dos meus alunos contou um fato interessante. Ele foi convidado a ir a uma entrevista para preencher uma vaga de gerente de marketing numa empresa estrangeira. Ao chegar, viu que o entrevistador era o próprio diretor americano, que não falava português. Disse que de início entrou em pânico, mas logo se lembrou das aulas terapêuticas aqui no Trilogy Institute e se acalmou o sufi ciente para fazer a entrevista em inglês – e conseguiu a vaga.

Outro caso que ilustra nosso método terapêutico é o de uma senhora, nossa aluna, que no mês passado voltou chateada de uma viagem a Miami aonde fora visitar a fi lha. Contou que a fi lha ridicularizava seu “sotaque de brasileiro”. Mas seu genro, americano, elogiava bastante seu inglês, dizendo que estava progredindo notavelmente. Perguntei-lhe então por que dera tanta importância para as críticas da fi lha e não para a avaliação do genro, que era americano. “Será que a senhora mesma não se critica muito?” – perguntei. Ela reconheceu que sim.

Tolerância em ver os erros

Muitos alunos dizem que não arriscam falar inglês perto de amigos ou familiares, porque “vão prestar muita atenção aos erros”. Aqui no Trilogy Institute mostramos que essa crítica, que vemos nos outros, nós temos em relação aos erros alheios e, sobretudo, aos próprios. Este é um dos assuntos que tratamos em aula com o Método Psicolinguístico Terapêutico, criado pelo psicanalista e pedagogo Norberto Keppe. Aliás, conhecer o processo de identificação projetiva, quando vemos nosso problema no outro, é uma ferramenta fundamental na gestão de conflitos profissionais e pessoais.

Vontade Invertida

Outro assunto abordado é a nossa vontade invertida inconsciente, pois, sem perceber bem, nem sempre queremos o que é bom para nós. “Pela natureza temos todos os dons e qualidades que jamais poderíamos imaginar, e pela vontade invertida vamos paulatinamente solapando o que herdamos”, explica Keppe no livro Origem da Sanidade. O processo de aperfeiçoamento do idioma segue o mesmo caminho do progresso individual, pois é só em um ambiente de conscientização e tolerância que podemos progredir e superar nossos bloqueios, começando a usar as nossas capacidades inatas de aprender idiomas e se beneficiar em todos os níveis da vida.

“Existem dois comportamentos fundamentais: o primeiro denominado neurótico, quando a pessoa permanece aterrorizada em ver qualquer problema, chegando a se imobilizar quase completamente, e o dos indivíduos interessados pelo próprio desenvolvimento e progresso – que não se conformam em serem brecados pelos seus erros, procurando afoitamente entendê-los, para superá-los.”

(livro A Origem das Enfermidades, Norberto Keppe).

Essa é a essência de nosso método, que nossos professores, europeus, americanos e brasileiros com larga experiência no exterior praticam há mais de 20 anos no Brasil.

Sugestão de Leitura


 

Segundo o autor:

«a capa deste livro constitui uma homenagem ao grande psiquiatra francês Philippe Pinel que no ano de 1798 libertou os doentes mentais das prisões que os amarravam fisicamente à verdadeiras masmorras que eram os hospitais psiquiátricos.

Minha intenção com este livro também é a de libertar os doentes psicológicos de seus sofrimentos (ansiedades e angústias), o que constituiria uma realização máxima para a humanidade – vamos dizer, uma libertação dos grilhões internos que acorrentam o ser humano às suas enfermidades».